Home / Saúde / Dia do orgulho autista: inspirado no filho, escritor lança livro de ficção
Dia do orgulho autista: inspirado no filho, escritor lança livro de ficção

Dia do orgulho autista: inspirado no filho, escritor lança livro de ficção

Lucas se inspirou no filho para criar a história do menino que faz milagres

Lucas se inspirou no filho para criar a história do menino que faz milagres

Reprodução

No próximo dia 18 de junho, o Dia do Orgulho Autista deve ser celebrado em grande parte do mundo. Segundo dados do CDC (Center of Deseases Control and Prevention), órgão ligado ao governo dos Estados Unidos, existe hoje um caso de autismo a cada 110 pessoas.

Desse modo, estima-se que o Brasil, com seus 207 milhões de habitantes (de acordo com os últimos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE), possua cerca de 2 milhões de autistas.

O termo “Movimento Orgulho Autista” surgiu em 2005 nos Estados Unidos, e se espalhou depois para os países europeus. Desde então, a data é celebrada em parte do mundo, tendo ganhado força no Brasil com a criação do Movimento Orgulho Autista Brasil (MOAB), uma Organização Não-Governamental (ONG), sem fins lucrativos e que trabalha pela melhoria da qualidade de vida das pessoas com o Transtorno do Espectro Autista e de suas famílias.

Pensando na importância da data, o jornalista e escritor independente Lucas Eliel, 26, lançou este mês “O Autista Milagreiro”.

O livro é uma novela, gênero literário situado entre o conto e o romance, e está disponível como e-book impresso pela Amazon, com links para compra no site e redes sociais do autor.

Pai do Davi, de quatro anos, o escritor suzanense afirma que “ninguém deve ter vergonha de ter um filho autista. Ao contrário, ter um filho autista é um motivo de orgulho, e o próximo dia 18 é símbolo disso”, afirma.

De acordo com o escritor independente, a inspiração para escrever o livro veio do dia a dia com o filho, e reflete o orgulho que os pais devem ter de seus filhos autistas, mesmo diante de todos os desafios.

Segundo Lucas Eliel, “O Autista Milagreiro” foi escrito em cerca de dois meses, e é um livro de ficção, isto é, não se trata de uma biografia, embora tenha se inspirado diretamente no filho e em algumas experiências da própria família para a execução do trabalho.

“A ideia de escrever a novela surgiu no Dia Mundial de Conscientização do Autismo, no último dia 2 de abril. Eu tinha acabado de terminar o ‘Mistério da Quarta-feira de Cinzas’, primeiro volume de uma série policial, e estava em um período de esvaziamento, mas me dei conta de que o Dia do Orgulho Autista estava se aproximando e que esta seria outra data muito importante para nós, que vestimos a camisa dos autistas. Pensei que publicar uma história com um personagem autista a tempo desse dia, daria mais visibilidade à causa e ao sentido de orgulho que nós, pais, temos que ter dos nossos filhos autistas exatamente como eles são”, afirma.

Ainda segundo o escritor, “a novela trata também da realidade da maioria das famílias brasileiras, principalmente as pessoas de baixa renda, que lutam todos os dias contra o preconceito, e batalham por igualdade, acesso à saúde e educação de qualidade”, conclui.

O livro já está à venda na internet

O livro já está à venda na internet

Divulgação

O livro

Com 151 páginas, “O Autista Milagreiro” também está disponível como e-book.

A novela narra a história de Juninho, de quatro anos de idade, e de seus pais. A família Silva não sabe que Juninho é autista, e enfrenta uma série de desafios em busca de uma resposta. Uma noite, tudo muda quando Juninho está brincando de enfileirar os seus brinquedos, e algo inusitado acontece.

A partir daí, curas e eventos sobrenaturais passam a acontecer o tempo todo, e o menino fica famoso em todo o país como “O Autista Milagreiro”. Depois de fazer milagres ao vivo em um programa de TV, Juninho se torna ídolo nacional e a vida de sua família vira de pernas para o ar, se encaminhando para um final surpreendente.

O autor

Lucas Eliel nasceu em São Caetano do Sul, interior de São Paulo, em março de 1991. Formou-se em Comunicação Social – Habilitação em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. É o criador do Detetive Lancaster, autor de livros policiais e de terror como “Leprosário” e a série “A Quaresma do Horror”.

Influenciado por autores como Graciliano Ramos, Agatha Christie e Stephen King, Lucas Eliel surpreende os leitores com histórias cheias de reviravoltas, recheadas de suspense e de terror, sem deixar de lado o olhar social.

 

Fonte: https://noticias.r7.com/

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Publicidade de Exemplo